Entidade testa dispositivos

O Cesvi (Centro de Estudos Automotivos) realizou testes em campo, durante oito meses, para comprovar a eficiência dos aparelhos rastreadores disponíveis no mercado contra o jammer. De acordo com o resultado divulgado pela entidade, as 300 marcas que foram submetidas ao teste não conseguiram ser imunes ao aparelho invasivo. Paulo Roberto Weingartner , analista técnico da Cesvi, confirma o resultado e ressalta que os equipamentos baseados na radiofrequência não foram testados. “Nós usamos o jammer específico para CDMA e GPRS e constatamos que nenhum aparelho estava imune ao sinal de perturbação do jammer”, diz Weingartner.

O centro adquiriu o jammer para a realização de pesquisas, devidamente autorizadas por autoridades legais. Esse equipamento foi desenvolvido para aplicações que exijam o bloqueio do sistema de comunicação de um determinado local, como para bloquear toda a telefonia móvel da região, similar aos utilizados em presídios.

As empresas fabricantes de equipamentos de rastreamento estão buscando desenvolver produtos imunes à ação do “jammer”. Entretanto, até o momento, todos os equipamentos testados pelo Cesvi Brasil, mais de 300 marcas, não conseguiram ser imunes ao jammer.

Como funciona o Jammer

O modelo mais utilizado funciona criando um sinal (ruído) em banda larga – BBN (Booardband Noise Jamming) – em que o circuito interfere nas bandas de comunicação presentes na telefonia móvel nacional. O “jammer” realiza uma interferência (perturbação) entre o veículo e a antena operadora – o que provoca a perda de comunicação com a rede de telefonia móvel.

No telefone celular, quando uma ação dessas ocorre, o display apresenta as seguintes mensagens: “fora de serviço”, “procurando rede”, ou algo similar que evidencie que o aparelho está sem comunicação. É quando o aparelho fica inoperante, e o infrator pode definir uma rota para o veículo, sem que a central de monitoramento possa rastreá-lo.

Outro ponto a ser destacado é que o ‘jammer’, instalado em um veiculo, chega a inibir também o sinal de rastreamento e bloqueio de veículos em um raio de, em média, 10 metros, dependendo de sua potência.

 

Por InfoGPS às 16h50 de 13/12/2011

Fonte: http://infogps.uol.com.br/blog/2011/12/13/de-olho-nas-solucoes-antijammer/